E ENTÃO, O QUE É SER CAPILÉ?

No meu post de apresentação falei que era capilé e aqui estou para explicar, afinal promessa é divida, principalmente se você quer construir um relacionamento de credibilidade.

Vamos lá.

Nasci em São Leopoldo, estado do Rio Grande do Sul, cidade que tem como gentílico oficial a palavra leopoldense, mas há uma forma carinhosa de referenciar os moradores da cidade: capilé.

O termo originalmente era usado de forma pejorativa por moradores da cidade vizinha de Novo Hamburgo, ainda na época anterior a emancipação ( Novo Hamburgo e São Leopoldo mantem uma rivalidade histórica, que data da época em que  as duas áreas urbanas pertenciam a São Leopoldo).

O termo capilé servia  para designar um xarope ou refresco feito de avenca, mais especificamente de capilária, de origem portuguesa e São Leopoldo sediava uma das primeiras fábricas gaúchas deste refrigerante, motivando a associação com o nome.

Hoje alguns leopoldenses abraçaram a palavra capilé e a rivalidade com Novo Hamburgo é apenas folclórica.(Sei não…)

Quando eu era garota frequentava a Sociedade Orpheu,

o clube social mais antigo do Brasil.  Nos bailes vinham meninos de Novo Hamburgo e a rivalidade era enorme. Se um menino da cidade vizinha tirasse uma menina de São Leopoldo para dançar tinhamos que sair do clube com ele e acompanhá-lo  até o carro para que não sofresse represálias, isto se o garoto agradasse, porque lembro de uma oportunidade em que um garoto me tirou pra dançar e começou um papo sobre as belezas e vantagens de cada cidade . Comçou  a me dar um calorão, uma irritação incontrolável e eu tentando manter a elegância. Não sentia que ele pudesse aceitar alguma coisa boa em São Leopoldo e sua arrogância tava demais para o meu gosto.  Ele se ferrou quando me desafiou a dizer alguma coisa que eu gostasse de Novo Hamburgo. Como já estava de saco cheio da arrogância do garoto disse prá  ele que gostava do sapato ( a cidade foi a maior produtora de sapatos femininos do Brasil antes que os chineses acabassem com a festa)  porque eu pisava sobre eles… Sorry, também sei ser uma bruxa quando pisam nos meus calos.

Prá me redimir, deixa eu apresentar minha cidade que eu tanto me orgulhava e que hoje, infelizmente nâo me pertence mais pelas inúmeras gestôes desastradas, principalmente do Partido dos Trabalhadores.

São Leopoldo  é uma cidade situada 36 km ao norte de Porto Alegre, conhecida como Berço da Imigração Alemã no Brasil, o Gigante do Vale, e São Leo.

A cidade foi fundada em 25 de julho de 1824 ( minha família chegou dois anos depois) por imigrantes alemães(39) que vieram com a promessa do Imperador do Brasil de receber terras, ferramentas e sementes para povoar  a desativada Real Feitoria do Linho Cânhamo, que fora  um estabelecimento agrícola que produzia cordas, mas que não deu certo devido a corrupção dos administradores.  Quando chegaram aqui nada foi cumprido. Alguém já viu este filme?

Os primeiros colonos alemães foram hospedados numa mesma casa e ali começou sua saga.

A cidade tomou este nome em homenagem ao santo de devoção da Imperatriz Leopoldina.

A Universidade do Vale do Rio dos Sinos uma das maiores do Estado é um dos orgulhos da cidade

 

e a cidade é o marco zero  da Rota Romântica que vai até São Francisco de Paula.

A cidade é banhada pelo Rio dos Sinos, um rio que imita o Reno como escreveu o escritor leopoldense Clodomir Viana Moog.

É a nona cidade em populaçâo no Estado do Rio Grande do Sul, com quase 250.000 habitantes

Escolhi algumas fotos tiradas pelo fotógrafo Aurelio Muniz, que não conheço mas que acompanho na rede social. Ele tem um olhar muito amoroso da cidade, procurando focar o positivo, que juro não é fácil. São Leopoldo é uma cidade maltrada ao longo dos vinte anos que estive fora. Muito triste.

Entrada da cidade pela Av. Dom João Becker

Av João Correa da Silveira

Bairro Sáo José aonde eu morava. Tem muitas árvores que florescem em diferentes épocas do ano. Bem lindo.

Estação do metro de superfície de Novo Hamburgo a Porto Alegre. Nem acredito que esta obra ficou pronta. Levou uma vida.. Meu Deus

Monumento em homenagem aos imigrantes alemães na Praça do Imigrante, a beira do Rio dos Sinos. A praça hoje, 2017, está em situaçâo calamitosa, sem segurança.

Museu do Trem. A estrada de ferro foi um importante fator de desenvolvimento da cidade. Meu avô tinha uma olaria bem defronte a estaçâo de trem no Bairro Rio dos Sinos.

Nova Prefeitura de São Leopoldo. Temos uma maravilhosa e moderna prefeitura, mas um Hospital sucateado. Não entendo as prioridades.

A rua se chama Independência, mas todos conhecem por Rua Grande. É a rua principal da cidade, aonde, por muitas decadas os jovens se encontravam, passeavam e se divertiam. Hoje isto nao e possivel pela falta de segurança. A cidade esta tomada por farmacias, lojas de eletrodomesticos e colchoês. Tem alguns bares, sem infraestrutura adequada, porque pela manhã nâo se aguenta o cheiro de urina em vários pontos. Muito triste.

CompartilhePrint this pageEmail this to someoneShare on FacebookShare on TumblrPin on Pinterest

5 thoughts on “E ENTÃO, O QUE É SER CAPILÉ?

  1. Tem um ditado que diz : Quem bebe agua do Rio do Sinos sempre volta. Foi na Rua Grande nos passeios a 68 anos atraz que conheci meu marido e este ano completamos 65 anos de casados Bodas de Platlna .Bons tempos eram aqueles.

  2. Gostei muito da tua posição e carinho pela cidade! Quando fui morar em São Leopoldo em 1978, a cidade era uma gracinha ! Tipicamente de origem alemã ! As ruas limpíssimas , arborizadas e os canteiros floridos ! Passeávamos aos sábados pela manhã pela Rua Grande,uma delicia ! Hoje ainda deparei com uma cena que me chocou :existiam 3 palmeiras plantadas na calçada da rua marques do Herval que para minha surpresa hoje a calçada estava acimentada e sem as lindinhas palmeiras! Uma tristeza! Em tempo Eu hoje moro na rival cidade !

    1. Oi Isabel, obrigada por suas palavras. Nao sabia que voce tava morando em Novo Hamburgo. Bom pra voce. Horrorizada com o estado de Sao Leopoldo. Beijao e vamos trocando ideias.

Leave a Reply