É POSSÍVEL BRINCAR CARNAVAL NA VELHICE

Um lar para idosos não pode e não deve ser um lugar para “depositar” nossos velhos.

Deve ser um lugar que tenha todo o conforto e cuidado que é possível oferecer, porque merecem, e principalmente estímulo, porque na velhice tendemos a nos acomodar.

Não é fácil, mas é possível.

Minha mãe está demonstrando isto.

Meu pai está no Lar Moriá em São Leopoldo,  desde agosto e  apesar dele estar vivendo num mundo particular, ela  continua criando atividades para estimulá-lo a ter um convívio social, porque esta é a essência do ser humano. Somos animais sociais. Se nos fecharmos, vamos minguando, minguando até desaparecer. E neste propósito, integra todos que fazem parte do Lar.

Depois da festa de aniversário dele, do aniversário de casamento, aniversário dela, surgiu a idéia de fazer um baile de Carnaval.

Isto mesmo.

Com direito a acessórios para se fantasiar e tudo.

E acho que logo, logo um Coelho da Páscoa vai aparecer kkkkk.

A Oma Luia é cheia de surpresas.

Acho que as fotos falam por si.

A expressão de alegria nos rostos é evidente.

Não há espaço prá depressão e mau humor.

A rainha da Bateria…. Do alto dos seus 87 anos. Minha mãe é a pessoa mais criativa e hábil prá fazer de nada alguma coisa. Acha uma coisinha aqui, outra ali e cria algo novo. Assim foi sempre com tudo, até com a comida. Só ela prá desmanchar um terno de linho e virar uma linda toalha de mesa. E tudo que faz é caprichado e bonito.
Meu pai é muito tímido, mas fomos abençoadas com cuiadoras maravilhosas que o estimulam, principalmente no lado musical. E ele demonstra estar curtindo. Já o batizamos de Renatinho do Pandeiro. Como a música é libertadora.
Esta senhora é a epxressão do momento. Alegria. E as coroas de rainha que a mãe garimpou na loja de Chocolate de Gramado fizeram sucesso
Não tem como uma lantejoula não valorizar até as rugas de alguém que tem uma linda história para contar.
Meu pai está rodeado de gente conhecida de São Leopoldo. Esta é Marisa Simon Piccioni, viuva de um ex-colega de CEEE
D. Gelsa Stein, também conhecida da vida inteira.. Ela tem um neto que é uma graça e a colocou na rede social, sempre dando muito estimulo
D. Landila Heldt que foi nossa vizinha e é avó de uma grande amiga da minha filha. Muito bom revê-la nem que seja por fotografia.
Até meu tio Plinio, irmão do meu pai entrou na festa. Também não lembro de tê-lo visto em algum baile de Carnaval… Sempre é tempo.
E vamos sacudir o esqueleto, porque isto faz bem e alegra a alma.

E assim chegamos na quarta-feira de cinzas.

Nos Estados Unidos, encontramos pessoas com uma cruz na testa feita com carvão, porque acabaram de sair a missa que dá início a quaresma.

No Brasil, muitos estão de ressaca pelos quatro dias de folia. Nem sabem que agora se inicia a Quaresma. que originalmente seria um período de preparação para a celebração da Páscoa. Hoje ninguém mais nem sabe o que é isto.

Mas tenho certeza que os moradores do Lar Moriá tiveram bons momentos neste Carnaval.

Parabéns pela iniciativa, mãe. Que Deus continue te dando saúde e motivação. O mundo precisa de pessoas como tu. Trazer alegria para os que nos rodeiam é um dom. estejam aonde estiverem.

Um abraço

Silvana

 

CompartilhePrint this pageEmail this to someoneShare on FacebookShare on TumblrPin on Pinterest

One thought on “É POSSÍVEL BRINCAR CARNAVAL NA VELHICE

  1. Silvana tua mãe é fantástica! Está sempre nos surpreendendo.É sem dúvida um exemplo para nós mulheres.As vezes acordo com dor(tenho fibromialgia) e logo lembro da vitalidade da Dona Luia,sacudo a poeira e vou viver a vida.Que dádiva ter uma mãe como ela.Desejo muita luz ,bênçãos e muitos anos de vida para Dona Luia! Beijoca 💋

Leave a Reply