PRIMEIRO ALMOÇO DO ANO DO CCBU

Sabe quando você vai a um evento e se agarra numa boa conversa que você não vê o tempo passar e não quer ir embora?

Foi assim hoje a tarde.

Muito bom reencontrar tanta gente bacana e querida no primeiro almoço do CCBU.

É um grupo que me sinto sempre muito acolhida.

Maria Ines e  Adriana são incansáveis em manter o Centro, divulgando o Brasil, promovendo encontros sempre muito agradáveis.

E cada vez que temos estes encontros e que eu vejo o esforço fico pensando o quanto realmente amamos o Brasil, queremos que ele melhore e ainda, apesar de tudo e de alguns maus brasileiros, continuamos  dando aval que é um país bonito de se visitar, que tem muitas coisas interessantes prá se ver e experimentar.

Continuo achando que estamos passando por um mau momento, mas um dia as coisas vão mudar.

E claro que os papos não fogem disto também.

Mas parece que somos minoria, porque ainda comentamos que muito mais gente do que imaginamos protege e acoberta todos estes falcatruas que vemos todos os dias nos jornais, a começar pelo ex-presidente Lula.

Dia 24 será o dia dele. O almoço estava repleto de gaúchos. Esperamos que possamos nos orgulhar da decisão que será proferida no julgamento que se aproxima.

Valéria Trauer, eu e Maria Ines Dal Borgo Foto Adriana Sabino
As duas ârroz de festa Foto Silvana Mandelli
Antonio Adolfo e Ana. Sempre um prazer reencontrar este querido casal. Na torcida para o Grammy Internacional, para o qual Antonio Adolfo foi indicado.
Seja em Gramado, seja em Miami sempre bom reencontrar a Denise e o Paulo Ehlers.
Patrick Mallmann do Consulado do Brasil ( pelo menos temos um representante dos pampas gaúchos) e Adriana Sabino Presidente do Centro Cultural Brasil Estados Unidos. Foto Adriana Sabino
Marcelo Sabino e o casal Claudia e Raul Pereira Neto que estão há pouco tempo em Miami
Minha querida Luciana Lewis, outra gaúcha . Guria querida, como a Adriana SAbino gosta que a gente fale kkkk
O primeiro casal do Centro Cultural Brasil Estados Unidos Adriana e Marcelo Sabino

COCO BAMBU MIAMI BEACH

O lugar escolhido não podia ser melhor. Estava louca para conhecer o primeiro restaurante do Coco Bambu nos Estados Unidos, já que tivemos o prazer de conhecer o primeiro do Brasil exatamente num famtour em que participaram a presidente e vice do CCBU em 2006.

O casal proprietário da rede Coco Bambu Afranio e Daniela Barrera nos recebeu em Fortaleza, em junho de 2006
Maria Ines , eu o colunista social de Fortaleza Lázaro Medeiros

Mas amiguinhos do Coco Bambu, a coisa tá difícil.

Perderam uma grande oportunidade de fazer uma bela divulgação do espaço, já que ouvi muita gente insatisfeita e até brigas no valet prá pegar o carro.

Para um restaurante que propaga ser o maior de Miami Beach, com lugar para 500 pessoas,  o teste foi complicado. Obivamente não tinham quinhentas pessoas que seria simplesmente o caos.

Deixo bem claro que a minha crítica nada tem a ver com o CCBU, nem ao espaço em si que é ótimo, mas especificamente ao serviço que é a alma de um restaurante.

O lugar é lindo, mas o atendimento está simplesmente lamentável, desde o bar, passando pelos garçons e terminando ou começando no valet parking.

Acho que é falta de treinamento e falta de filtro. A impressão que tenho é que assim como os funcionários recebem a mensagem, eles passam. Portanto o mensageiro tem que cuidar como esta mensagem é passada.

Vamos começar pelo valet. O “chefe” dos valets tinha a síndrome do caudilho espanhol. Um grosso e se achando… Desorganizado e apatetado, sem prática nenhuma para o grande número de carros. Sim o almoço do CCBU foi super bem frequentado e o restaurante não teve estrutura prá receber tanta gente ao mesmo tempo.

Um almoço marcado prá uma da tarde e a comida ser servida quase as três é de matar.

O que salvou foi que foram servidos pastéis e pão de queijo a vontade nas mesas, senao o estrago teria sido maior. Não queria ter um grupo com fome.

Em contra partida todos se entupiram de pastéis ( o que foi uma sorte) porque a comida era servida a francesa e não pratos colocados na mesa. Ai você ficava a merce da boa vontade do garçon lhe servir. Se servida de um lado da mesa não servida do outro.

Mas o que foi o máximo da falta de educação foi uma das pessoas responsáveis que entregava uns cartões eletronicos para despesas extras pedir a atenção e informra que entregaria o cartão e enfatizou quatro vezes que se fosse perdido teriamos que pagar uma multa de USD 1.000.

Fiz de conta que era uma brincadeira. O cara não tinha filtro algum. Assim como ele recebeu a mensagem a transmitiu.

A preocupação de todos os atendentes era fazer a  contabilidade, a satisfação dos clientes era uma questão secundária.

Sorry, mas eu acho que somente fazendo uma crítica é que se possibilita que o restaurante melhore.

Particularmente que escolher um restaurante em South Beach já é um problema pelo estacionamento, principalmente, sem falar que as ofertas são enormes. Um restaurante prá atrair os clientes tem que ter um diferencial . Eu mesma, quando me apaixono, sou a maior garota propaganda sem ganhar nada.

 

CompartilhePrint this pageEmail this to someoneShare on FacebookShare on TumblrPin on Pinterest

One thought on “PRIMEIRO ALMOÇO DO ANO DO CCBU

  1. Valeu amiga Silvana , bom encontra-la!
    A reuniao do Centro Cultural foi muito boa . Brasileiros curtindo amigos , conhecendo outros e estrangeiros que curtem o Brasil.
    O almoco , muito fraco , nada a ver com o CoCo Bambu que conheci em Brasilia ou Sao Paulo. O local bonito e o ambiente agradavel . O servico um desastre , a comida ”fraca” , para ser gentil , but os pasteis otimos! Mas o que foi o servico do vallet ??

Leave a Reply