SIMPLESMENTE MINHA MÃE

Penso nela todos os dias.

Mas penso especialmente hoje, dia em que ela completa 87 anos de vida.

Apesar de sermos parecidas física e de temperamento e apesar do esforço, nunca chegarei aos pés dela.

Minha mãe tem uma personalidade exuberante, é uma mulher a frente do seu tempo, uma guerreira e uma batalhadora.

Acho até que me faltam adjetivos porque 87 anos é muito tempo prá adjetivar uma pessoa que se reinventa todos os dias.

Perdeu a mãe com 3 anos e isto prá mim é uma coisa inimaginável, porque mãe é tudo. Talvez este era meu maior medo quando criança. Olhava prá ela e pensava:  como é que a gente pode viver sem mãe?

 

As duas gêmeas , luto, pela morte da mãe. Esta foto assombrava minha infância. Morria de medo ter que passar pelo mesmo. Hoje festejo ter minha mãe comigo, com 87 anos e eu com 65. As meninas tinham 3 anos. 1934

Outra foto que me assombrava. O túmulo da minha avó no seu sepultamento. Por um lado achava consolo na assombrosa quantidade de flores, por outro, dificil de compreender uma mulher que se vai aos 27 anos deixando três filhos.

Pode, porque sempre tem um anjo da guarda na vida a gente Assim ela ( e a irmã gêmea, sim porque tudo tem que ser pior e mais complicado) foram morarm com uma tia.

Com quinze anos ela perde esta tia e vai pro internato de freiras.

Os dois anjos da guarda que tomaram conta das meninas . Uma boa oportunidade de prestar minha homenagem a minha tia avó Irma Scherer Rippel e ao meu tio-avô Wenceslau Rippel.
Minha mãe, com o uniforme do Colégio São José de São Leopoldo para onde ela foi quando faleceu a mãe de criação.

Completou a escola e as duas foram morar sozinhas, porque como já escrevi sobre como meu avô era distante na vida das meninas.

Nesta época meu pai entrou na parada.

Meus pais na Praça do Imigrante Alemão em São Leopoldo, 1950.

E a partir daí minha mãe focou em formar uma família.

E o fez de forma brilhante.

Mas sem nunca perder seu espaço, que não foi mole, porque meu pai era um cara mimado ao cubo pela minha avó e consequentemente queria isto também no casamento.

E ela foi se virando nos trinta e também cavanco seu espaço.

Meu pai não queria que ela trabalhasse, não deixava dirigir, não.. não….não….

Nada podia.

Não podia trabalhar?  Ok, foi voluntariar ( como meu pai poderia proibir um trabalho em prol dos outros?) em vários trabalhos na Ordem Auxiliadora de Senhoras Evangélicas, foi presbitera da Igreja Luterana em São Leopoldo, trabalhou com o grupo de terceira idade Girassol em São Leopoldo.

Mudou pra Gramado Sem problema… o trabalho voluntário seguiu ensinando tricô no grupo Amigas Voluntárias, participando da Igreja Evangélica de Gramado , sem falar de suas visitas a creches e escolas de Papai Noel e de Coelhinho da Páscoa.

Quando meu sobrinho morreu, participou das madrugadas de conscientização no trânsito com o grupo Vida Urgente.

Aprendeu a dirigir com 40 anos. Antes disto, tinha que pedir carona prá Deus e o mundo prá ir no supermercado, quando não ia de bicicleta.

Não bastou aprender a dirigir carro. Também tinha que ser motoqueira.

Cozinha bem, faz tricô e crochê divinamente e ainda aprendeu e aprende tudo que precisa prá estar conectada neste mundo moderno. Facebook, Internet,

wi-fi, Instagram, Whatsapp, Iphone, Ipad não é grego pra Oma não.

De lavar e preparar um morto para ser sepultado a melhor torta de morangos que você puder imaginar, nada é barreira prá Oma.

Ela encara e executa.

Um post é muito pouco para contar tudo sobre esta “Mulher Maravilha” na acepção da palavra.

Manter um casamento por sessenta e seis anos merece um Oscar do Casamento. 

Minha mãe com a primeira filha euuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

E não foram só flores. Ah não foram. Além das perdas precoces e das perdas naturais da vida, perdeu um neto com 17 anos.

Caiu e levantou, sempre focando no futuro.

Acho que este é o segredo.

Aprender com o passado e corrigir a rota prá construir o futuro.

Otimismo, alegria, determinação, foco e fé (sempre muito importante) foram as linhas para chegar até aqui. E olha que tenho parâmetro de comparação com a gêmea, que tem temperamento completamente diferente.

E claro, sempre com a ajudinha preciosa de Deus, colaborando com aquilo que é mais importante prá todos nós: saúde

Poucas pessoas chegam a esta idade com lucidez e força prá governar sua própria vida.

Por isto mãe, agora a mensagem é do meu coração pro teu: só posso te desejar um feliz aniversário, te agradecer pela vida, amor e educação que me deste e te dizer que todo teu esforço não foi em vão.

Criaste uma família de três filhos , sete netos e um bisneto e meio (chega em abril) e que tudo que plantaste está se multiplicando. talvez não com a tua perfeição, mas com as peculiaridades de cada personalidade.

Que Deus te dê muita saúde e muita energia para continuares sendo o esteio da nossa família.

 

Um beijo

Sil

 

 

CompartilhePrint this pageEmail this to someoneShare on FacebookShare on TumblrPin on Pinterest

One thought on “SIMPLESMENTE MINHA MÃE

Leave a Reply